sábado, 29 de maio de 2010

OS REPTILIANOS (Part. 01)

Pra quem nunca ouviu falar, os Reptilianos são uma raça humanóide (não humana, mas que se assemelha a nós) que pelo que se sabe, já estão pela Terra há milhões de anos. Alguns deles apenas coexistem conosco em dimensões vibracionais diferentes da nossa (vide os fantasmas) apenas com o intuito de nos ajudar a evoluir quebrando a prisão densa na qual estamos; Já determinada facção destes seres possui nossos corpos, escraviza nossas mentes, manipula nossa sociedade secretamente e não quer que evoluamos e nos tornemos iguais a eles. Apesar do teor novelístico deste tema – quem lembra da novela Mutantes da Record? – esse assunto é bem interessante e já está sendo difundido aos montes pelos escritores apocalípticos do mundo inteiro. Vale a pena ler os próximos posts, e conhecer mais sobre estes seres que atualmente se configuram uma ameaça à raça humana e à nossa liberdade.


PARTE 01 - QUEM SÃO E DE ONDE VÊM?

Os Reptilianos, como o próprio nome diz, são humanóides com aspectos répteis muito mais evoluídos que nós. Segundo o estudioso no assunto John Rhodes, a origem desses seres é explicada por três teorias distintas, e provavelmente complementares. São elas:

a) Extraterrestres (ET's): Seres de outro planeta ou sistema estelar que há milhares de anos vem passeando pelo o Universo à procura de planetas o qual possam extrair água, minérios e até escravos. Já há algum tempo a Terra é a "bola da vez".

b) Intraterrestres (IT's): Seres provenientes da Terra que evloluíram naturalmente e que residem em Cavernas intraterrenas, cidades subterrâneas, ou até bases subaquáticas. Provavelmente são seres evoluídos dos dinossauros que se esconderam debaixo da Terra após o grande meteoro que destruiu boa parte da vida na superfície terrestre. Dizem até que esta é uma teoria muito mais aceitável, pois existe uma corrente de pensamento que diz que seriam impossíveis viagens de extraterrestres pelo Universo. Pois mesmo que viajando na velocidade da luz, esses ETs demorariam milhares de anos para fazer esse passeio de uma galáxia para outra.

c) Intradimensionais (ID's): Entidades que existem no nosso mesmo espaço, mas em níveis vibracionais diferentes. Dizem que pertencemos a terceira dimensão vibracional, já os mortos e os tais reptilianos dessa teoria fariam parte da quarta dimensão. A terceira, a qual fazemos parte, é uma dimensão mais densa e física; já a quarta seria para nós, algo como “o mundo dos fantasmas”. Os reptilianos não querem que evoluamos para a quarta dimensão, e fazem de tudo para que fiquemos presos nessa “atual prisão” da nossa realidade. Talvez um dia eles viveram na terceira dimensão mas foram banidos para a quarta, e ainda têm certa obsessão pela nossa dimensão e ficam nos possuindo para poder experimentar novamente as sensações deste mundo.

Para saber ainda mais a respeito da origem desses seres, voltemos um pouco mais na história do Universo. Vamos recapitular a história dos Anunnakis (LINK AQUI) e dos filhos que eles tiveram com as mulheres, os Nephilins (LINK AQUI)cliquem nos links para ler os post anteriores a respeito. Pois bem, segundo os estudiosos no assunto (destaque para David Icke) afirmam que os Anunnakis, os Reptilianos e o Sangue Real tem muito mais em comum do que vocês poderiam imaginar. Na verdade, os contos sobre uma "raça serpente" em culturas antigas são simplesmente intermináveis. Por onde quer que você olhe em toda a história, vai encontrar o simbolismo serpente-reptiliano nos Anunnakis (cultura suméria), na Bíblia com a serpente do Jardim do Éden, e até na cultura asiática e sua adoração aos dragões.

Por todo o planeta você encontra as lendas e contos antigos de "deuses" de outro mundo que cruzaram com a humanidade para criar uma rede de descendentes híbridos. O Velho Testamento, por exemplo, fala sobre os "Filhos de Deus" que cruzaram com as filhas dos homens para criar a raça híbrida, chamada de Nefilim. As Tábuas de barro sumérias, achadas no local que nós chamamos agora de Iraque, na metade do século 19, falam de uma raça de "deuses" de outro mundo que trouxe conhecimento avançado para o planeta e cruzou com humanos para criar uma descendência de híbridos (Nephilins). Esses "deuses" são os Anunnakis (aqueles que do céu para a Terra vieram). Destes descendentes híbridos veio "o direito divino dos reis", a crença de que somente aqueles de "sangue azul" têm o direito de governar dado por Deus. Na verdade esse direito não é "divino", mas sim o direito de governar dado pelos "deuses" reptilianos por via de sua genética híbrida. Estes híbridos se tornaram depois, as famílias reais e aristocráticas da Europa e, graças ao "Grande" Império britânico e aos outros impérios europeus, eles foram exportados para as Américas, África, Austrália, Nova Zelândia, e diretamente para o Distante Oriente.

Segundo David Icke, estas linhagens híbridas reptilianas-humanas posteriormente, se tornaram os governantes políticos e econômicos das terras ocupadas pelos impérios europeus e pessoas com este sangue continuam governando esses países ainda hoje. Os Estados Unidos da América, por exemplo, teria sido o lar de centenas de milhões de pessoas hibridas-reptilianas desde 1776. Dentre essas pessoas, estão as famílias Rothschilds e Rockefellers, há tanto tempo acusadas de serem as mandantes da “Illuminati” – que também é manipulada pelos Reptilianos. E Icke continua:

É por isso que as assim chamadas “Famílias do Estabelecimento Oriental” dos Estados Unidos cruzam entre si tão obsessivamente quanto as famílias reais e "nobres" européias sempre fizeram. Assim como outras famílias similares ao redor do mundo, elas não fazem isso por serem esnobes, mas para manterem, da melhor forma que puderem, uma estrutura genética: a combinação do DNA réptil-mamífero, a qual permite que eles mudem de forma. Os presidentes, por exemplo, não são "El-ected" (eleitos) por votos, eles são "SEL-ected" (selecionados) por sangue.  


Não se preocupe, você leu certo. ELES MUDAM DE FORMA! Segundo a história, os humanos possuídos pelo DNA reptiliano e que tem suas mentes manipuladas por eles, se transformam (quando querem) em réptil. Por mais bizarro que pareça, é essa a história contada. E David Icke continua com suas declarações ácidas:

Esta aparentemente bizarra e louca história é de fato verdade: O mundo realmente pode ser controlado por linhagens genéticas reptilianas que se escondem por atrás de uma forma aparentemente humana. 

A história dos Reptilianos não termina aqui. Essa só é a primeira parte de uma série. Esse assunto é tão extenso que não teria como ser explanado todo em um post só. Aguardem o próximo post para saber o que eles pretendem fazer com a humanidade e como fazem para atingir seus objetivos obscuros. Preparem-se para mais declarações ácidas do David Icke, a conexão reptiliana com o mega-evento de 2012, saber do envolvimento de Hitler com o objetivo Reptiliano e como a Illuminati se tornou um fantoche na mão desses seres. Aguardem!


Aldrêycka Albuquerque


UP: Acesse a parte 02 dessa matéria clicando NESSE LINK.

Veja as fontes de pesquisa. Clique em "Mais Informações".


quarta-feira, 26 de maio de 2010

V.E.C. - O Bebê Mutante

É com muito orgulho que venho aqui inaugurar uma nova coluna no Estranho Curioso. É o V.E.C. - Vídeos Estranhos e Curiosos. Reuniremos aqui vídeos interessantes para compartilhar a estranheza e abrir debates a respeito. Espero que gostem da novidade! Ah, e quem tiver seu vídeo curioso, pode nos mandar o link que publicaremos.


V.E.C. 1 - O BEBÊ MUTANTE


Impressionante! Vídeo de um bebê VIVO com aspectos de um réptil. É incrível. Possivelmente uma mutação genética.
 



E aí? Alguém acredita nesse vídeo? Será que é verdadeiro mesmo? Pena que não tem legenda. Quem souber traduzir, sinta-se a vontade! 

Mas esse vídeo me fez lembrar da teoria conspiratória sobre os REPTILIANOS. Não conhece? Aguardem o próximo post!

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Os Anunnakis


A palavra Anunnaki vem da língua suméria e significa “aqueles que vieram do céu”. Segundo o historiador Zecharia Sitchin, os Anunnakis são extra-terrestres vindos do planeta Nibiru e que criaram a raça humana como ela é hoje. Eles também são os responsáveis por todo o conhecimento científico do povo Sumério. Conheça mais sobre esse povo extremamente curioso que habita um planeja mítico e que provavelmente vai nos visitar em 2012.

Alguns significados mais minuciosos da palavra Anunnaki só comprovam o quanto esses habitantes extraterrenos são tão curiosos:

ANUNNAKI
An = forma reduzida de "anachnu", que significa NÓS
Nu = também significa "céu"
Naki = limpo, puro
Significado: “Nós somos puros”
Ki = Terra
Ampliando o significado para: "Nós do céu, na Terra", ou ainda "Puros do Céu na Terra”.



A estranheza desse povo não se restringe ao nome. Eles trazem uma história surpreendente sobre intervenções na nossa evolução, em nossa sociedade e em nossos conhecimentos científicos. E particularmente para quem leu nossos posts a respeito dos Sumérios, os Nephlins, Nibiru ou sobre o historiador Zecharia Sitchin já estava na torcida para um post só sobre o povo misterioso do Planeta X. Pois bem, vosso pedido é uma ordem.

Os Anunnakis visitaram a Terra primeiramente, durante nossa segunda Era Glacial. Uma vez que o planeta que eles viviam, Nibiru, estava prestes a ser extinto, eles vieram a Terra explorar minérios, pois só construindo uma camada de proteção de ouro em torno do seu planeta, é que eles poderiam evitar essa catástrofe.

Tida como divindade, essa raça superior que estava na Terra era liderada por Enki e seu meio-irmão Enlil (hoje conhecidos como os primeiros astronautas pesquisadores). Os dois meio-irmãos eram responsáveis pelas atividades exploratórias na Terra, e se reportavam a seu pai Anu – que continuava morando em Nibiru. Os dois viviam em pé de guerra e se viram em meio a uma rebelião quando os anunnakis se cansaram de tanto trabalhar na exploração de minérios. Essa rebelião ficou conhecida como “A Rebelião dos Anjos” e foi sanada com a brilhante idéia de Enki em chamar a deusa da medicina, Ninharsag para criar um ser que pudesse trabalhar no lugar deles, poupando assim os deuses Anunnakis de tal esforço. Mesmo com todos os protestos de Enlil, Anu (o pai dos dois) autorizou o procedimento e começaram os testes de mistura genética.

Primeiramente os testes foram feitos misturando-se diversas espécies de animais entre si. Entende-se que foi daí que vieram as histórias mitológicas sobre sereias, esfinges, centauros, cavalos alados entre outros seres híbridos. Com o insucesso dos testes, Enki decidiu fazer misturas genéticas entre o DNA anunnaki e o DNA dos seres vivos da Terra. Dentre alguns testes que não deram certo, acabaram por descobrir a espécie perfeita que, misturada com o DNA anunnaki, resultava em um híbrido extremamente funcional. Foi então que surgiu Adão.

Enki ficou muito famoso após a criação de Adão. Mas depois que foram sendo criadas mais espécimes humanas, começaram os problemas. Seres que muitas vezes se rebelavam contra as divindades anunnakis, ou mulheres engravidadas por anunnakis, dando a luz à “semi-deuses”, os chamados nephilins. Com isso Enlil teve mais que argumentos para com seu pai Anu, na tentativa de acabar de vez com essa raça híbrida criada. Como eles sabiam que com a aproximação de Nibiru, as calotas polares iriam se deslocar e mais uma vez alagar todas as extensões de Terra, foi feito um conselho com Anu, Enlil, Enki e outros “cabeças” e acordado que eles deixariam a raça humana morrer afogada e nunca mais iriam fazer experiências genéticas desse tipo.

Mesmo o conselho tendo decidido isso, essa não era a opinião de Enki. Ele tinha um amor muito grande pelo ser humano e não admitiu que tanto esforço para criar uma espécime perfeita fosse em vão. Como a ordem era que nenhum Anunnaki poderia alertar a nenhum humano sobre o fim eminente, Enki teve uma idéia genial. Ele escolheu um humano o qual ele simpatizava muito, Noé, visitou-o em sua casa, deu as costas a ele e se virou para ma parede e começou a dar instruções: “Parede, toda a Terra vai ser coberta por água em breve. Você deve construir uma arca e colocar um par de animais de cada espécie viva...” Noé escutando, entendeu o alerta e se previniu. Tendo feito toda uma manobra para poder preservar a raça humana e os animais terrestres, Enki conseguiu passar por cima da ordem do conselho sem ter que efetivamente ter desobedecido seu pai (ele falou com a parede, não com um humano).

Após as águas baixarem e os Anunnakis voltarem para ver o que tinha acontecido com a Terra, se surpreenderam com Noé, sua família e os animais ainda vivos. Mesmo com o ódio mortal que Enlil ficou do meio-irmão, Anu achou que foi uma coisa boa a se fazer, e decidiu não mais dizimar a raça humana. A partir daí os Anunnakis começaram a ensinar coisas mil aos descendentes de Noé, que posteriormente se tornaram os Sumérios.

Como já não havia mais necessidade de se explorar minérios da Terra, os Anunnakis foram embora. Eles tinham moradia tanto aqui quanto numa estação na Lua. Depois do ocorrido (dilúvio), saíram todos e voltaram para Nibiru. Mas como eles ainda tinham certa responsabilidade com o ser humano, de vez em quando eles apareciam na Terra para ver como as coisas estavam indo. Ensinavam astrologia, medicina, química e engenharia para essas pessoas. Alertavam sobre coisas futuras e outros mistérios que você pode conferir no post sobre os Sumérios.

Dessa forma, hoje estamos as portas de mais uma dessas visitas dos Anunnakis. Em 2012 a órbita de Nibiru vai se aproximar a da Terra e vamos receber novamente nossos “pais”. Será que eles vão ficar orgulhosos com o que nos tornamos? Será que eles não vão gostar e mandar mais um dilúvio? Que Enki nos proteja e Enlil não nos encontre.



Aldrêycka Albuquerque

domingo, 9 de maio de 2010

Web Bot Project - O CYBER-NOSTRADAMUS

E se... Sem querer, tivermos inventado um cyber-nostradamus? E se uma ferramenta ligada a internet que foi feita para prever oscilações da bolsa de valores, hoje faz previsões aterradoras: a queda das torres gêmeas, o furacão Katrina, a crise econômica mundial, a atividade vulcânica na Islândia... Tudo previsto por uma máquina. Você acredita nisso?

No post anterior, citamos uma passagem do livro O Símbolo Perdido de Dan Brown que falava de um super sistema que “varria” palavras, citações e e-mails que circulam na internet, e assim conseguia “medir o humor da nação”. Intrigada com isto fui eu pesquisar a respeito, e descobri o Web Bot Project. Uma ferramenta nada fictícia, mas extremamente futurista e estranha. Sem querer, um ferramenta até então inocente, se tornou o novo Nostradamus cibernético. Vamos aos fatos.

Redes bots são redes de computadores sob o controle de hackers. Do mesmo jeito funciona o Web Bot Project, inicialmente a idéia era criar uma ferramenta de pesquisa “web spidering” que navegasse na rede a procura de números e palavras que pudessem prever altas ou baixas do mercado de ações. Porém não foi apenas isso que este projeto conseguiu. Em Julho de 2001 o Web Bot preveu que “um fato ocorreria nos Estados Unidos, modificando os rumos da política mundial”, então no dia 11 de Setembro do mesmo ano, ocorreu o atentado terrorista às Torres Gêmeas e ao Pentágono. Posteriormente muitas outras catástrofes foram previstas por este cyber-nostradamus, foram algumas delas:

• A tragédia do ônibus espacial Columbia.
• Ataque de antraz em 2001.
• O blecaute de Nova York em 2003.
• Tsunami de 2004.
• Furacão Katrina em 2005.
• Crise financeira em 2007.
• Colapso econômico em 2008.
• Atividade vulcânica na Islândia.

Neste site você pode conferir a previsão feita pelo Web Bot na íntegra e com legenda a respeito da recente erupção do vulcão na Islândia.

O programa vasculha a internet em busca de palavras em sites com muitos textos, grupos de discussão e sites de tradução, principalmente. O programa coleta os dados de palavras-chave e similares, filtra esses dados e faz as previsões. (FIM DO MUNDO 2012)

Vale salientar que algumas previsões feitas não se realizaram, como um possível atentado ao então vice-presidente Dick Cheney, eleições antecipadas em 2008 e um grande terremoto em 2004. Será que o Web Bot, assim como o Nostradamus, também se engana? Bem, isso eu não sei, mas para completar os mistérios ligados a essa ferramenta, ela prevê algo catastrófico para a humanidade em 2012 (clichê?), mas não revela “o que” nem “como” (anham...).

Querem saber minha opinião a respeito? Pois bem. Analisando friamente os fatos, eu acredito sim, em uma ferramenta de web spidering que consegue prever o rumo de um mercado de ações, o resultado de eleições, um atentado terrorista e até de uma rebelião ou algo do tipo. Isso é aceitável pois esta ferramenta vasculha a internet a procura de palavras, intenções e conversas que poderiam sim, serem filtradas e então prever o futuro (neste sentido). Vou exemplificar.

Digamos que estamos em época de eleição. Com certeza eu e você iremos trocar e-mails, participar de chats e expor em blogs pessoais nossos candidatos preferidos e nossas intenções de votos. Agora imaginem uma ferramenta que, através da internet, consegue filtrar essas nossas conversas, nossas pesquisas sobre o assunto, nossos fóruns e etc. A minha, a sua, a vida cibernética de todo mundo que está ligado pela rede mundial de computadores seria cascavilhada de forma anônima. É bem provável que eles consigam acertar o resultado desta eleição. E com mais precisão do que essas empresas de pesquisa (Ibope, EasyMedia, etc), pois esta ferramenta vai buscar a informação direto na fonte, sem a intervenção de pesquisadores tendenciosos ou até do próprio desconforto de uma pesquisa.

Pensando dessa forma, aceito a idéia do Web Bot prever certas coisas. Mas um desastre natural?! Falando assim, só consigo imaginar um chat entre vulcões do mundo inteiro, conspiração pela internet, onde o tema do chat é “quem vai erupcionar esse ano?”. Faça-me o favor. E o Katrina? Fórum de furações? Acho difícil de acreditar nessas previsões. Mas cada um tem sua criatividade e suas próprias teorias de conspiração. Mas eu não compro essa idéia de cyber-nostradamus. Desculpem-me.


Aldrêycka Albuquerque



domingo, 2 de maio de 2010

A Ciência Noética e a força do pensamento



Começemos este post com uma charada: O que os figurões: Charles Darwin, um psicólogo americano chamado William James, os grandes pensadores e psicanalistas Freud e Jung, o gênio Albert Einstein, o cara da luz elétrica, o Thomas Edison, o filósofo Henri Bergson, o escritor irlandês James Joyce, e mais recentemente Dan Brown em seu Best Seller O Símbolo Perdido, têm em comum?
Resposta: Todos eles, cada um do seu jeito, acreditavam (acreditam) na força do pensamento.
E quando eu falo força, falo literalmente – ele tem massa. E tudo o que tem massa pode ser medido e pode interagir fisicamente com o meio que se encontra. Se a única coisa que passou pela sua cabeça agora foi o torcimento de garfos e colheres, você precisa ler esse post o mais rápido possível. O que vamos falar aqui não é charlatonismo, é algo que envolve misticismo, física, tecnologia de ponta, fundamentos religiosos, previsão do futuro e consequências no mínimo estranhas. Prepare-se para se surpreender.
Primeiro vamos a definição teória do assunto segundo o (novo) pai dos (cyber) burros, a Wikipédia.
A noética (do grego nous: mente) é uma disciplina que estuda os fenômenos subjetivos da consciência, da mente, do espírito e da vida a partir do ponto de vista da ciência. Como conceito filosófico, em linhas gerais define a dimensão espiritual do homem. Wikipédia
Em outras palavras, a Ciência Noética tenta provar cientificamente assuntos subjetivos como o pensamento, a alma, milagres e fé. Ela afirma que não existe nada de sobrenatural nos milagres feitos por santos e xamãs, essas manifestações são apenas consequência da força do pensamento. Quando um santo (lê-se qualquer um que faz "milagres") está prestes a efetuar uma cura, por exemplo, ele tem em seu cérebro substâncias químicas que formam uma espécie de substância natual que chega ser curativa. Esta substância se cria pela força do pensamento dos tais santos, monges e tal; e pela força do pensamento é que eles curam as pessoas.
Na verdade, segundo a noética, todos nós temos esse poder dentro de nós, uma vez que somos nossos próprios criadores. Daí começa toda aquela explicação de que somos deuses e que não existe um Deus criador, isso é tudo invenção nossa para lidar com nossas possíveis incapacidades. E que no final das contas somos totalmente capazes de tudo, inclusive de fazer coisas inimagináveis – milagres. Daí você pensa: "Ué, mas como que eu não consigo fazer essas coisas também? Por que eu nunca transformei água em vinho?" A resposta dos noéticos é até bem bonita: "Se dermos um violino a um leigo, é bem provável que ele não consiga tocar uma nota sequer. Bem diferente do que um violonista profissional é capaz de fazer". Em outras palavras, tudo o que separa você do Buda é a prática. Acredite quem quiser.
A ciência noética não deve ser confundida com misticismo. O misticismo procura se conectar com o sobrenatural através da filosofia, fé e experiência religiosa. Já a noética pretende ser uma ciência, isto é, utiliza o método científico para testar suas teorias. Também difere da ciência materialista por descartar visões reducionistas da realidade, por concentrar-se no estudo da subjetividade e por levar em consideração elementos valorativos e teleológicos, e não apenas quantitativos e autolimitantes. Wikipédia
É a ciência noética que fundamenta a possibilidade de se pesar a alma humana, como já falado no post anterior (O PESO DA ALMA) também explica alguns assuntos curiosos, como a previsão do futuro através da medição do pensamento das pessoas. Em poucas palavras, significa que qualquer um consegue definir o que vai acontecer em um futuro próximo, se souber o que a maioria das pessoas está pensando, uma vez que esse pensamento tem massa (e poder), fica fácil entender o que pode vir a acontecer. É sob essa perspectiva que o livro do Dan Brown, O Símbolo Perdido traz em sua trama um dispositivo tecnológico que pela internet consegue medir "o estado emocional de uma nação" ou "o humor de um país" e assim "construir um barômetro da consciência cósmica". Com uma medição dessa, fica fácil se prever um atentado terrorista, por exemplo. Mas se você pensa que esse dispositivo é pura ficção, não perca o próximo post sobre um superdispositivo (REAL) norte americano chamado Webbot.
Os pressupostos essenciais da noética são os conceitos, encontrados em várias tradições filosóficas e religiosas, de que o homem é o criador de sua própria vida, que a consciência impregna toda a realidade, que o homem tem outros meios de contactar a realidade além de seus cinco sentidos tradicionais. Wikipédia
Se você achou a ciência noética interessante, mas ainda muito longe da nossa realidade, é porque ainda não entendeu a dimensão dessa nova "corrente filosófica" (se algum "noético" ler esse meu texto, vai querer me matar ao ler que eu chamei uma CIÊNCIA de corrente filosófica, mas é só para que nós leigos entendamos mais fácil). Essa ciência tenta explicar absolutamente tudo ao nosso redor. Ela quer de fato nos convencer que temos um potencial enorme dentro de nós, e que temos que voltar a nós mesmos, nos conhecendo melhor, para que possamos evoluir e então chegar a este nível de sermos "deuses".
Falando nisso me faz lembrar do filme AVATAR. Seres que tinham uma ligação (literal) entre eles mesmos e a natureza, e apenas conservando e melhorando essa ligação é que eles conseguem se comunicar por telepatia, conseguem interagir com as plantas e animais e até fazer curas quando estão em grupo. Se isto não é noética explícita? Só não vê quem não quer. Pois no final das contas, quem precisa de Deus nessa "nova era"?
"(...) Até mesmo o Instituto de Ciências Noéticas da Califórnia descrevia a disciplina em uma linguagem misteriosa e difícil de entender, definindo-a como o estudo do 'acesso direto e imediato por parte da humanidade ao conhecimento além daquele disponível aos nossos sentidos normais e ao poder da razão'. (...) A palavra noético (...) vinha do grego antigo – nous – que podia ser traduzido aproximadamente como 'conhecimento interno' ou 'consciência intuitiva'." O SÍMBOLO PERDIDO – DAN BROWN.
Apesar de todo o novo livro do Dan Brown estar fundamentado nesses conceitos da nova era e principalmente embasado na Ciência Noética, não me choca nem um pouco que mais um livro dele tenha teor polêmico. Mas o que vemos nos filmes, no teatro e na internet TAMBÉM são esses conceitos camuflados, ou até explícitos como em Avatar. E para quem ainda não está convencido da veracidade do assunto, pesquise a respeito do assunto no IONS (Institute Of Noetic Science) ou no site brasileiro WHH -Willis Harman House. Aprofundem o estudo sobre o assunto e criem sua opinião a respeito dessa ciência revolucionária e que está na moda. E vai que se empolga, cai de cabeça no assunto e vira o novo Super-Buda?! = )

Vale frisar que este texto é apenas para efeitos de curiosidade e que de nada tem haver com minhas concepções pessoais.
Aldrêycka Albuquerque

sábado, 1 de maio de 2010

O Peso da Alma



“De fato a máquina se parecia um pouco com as incubadoras para bebês prematuros dos hospitais, mas tinha o tamanho de um adulto – era uma cápsula de plástico transparente comprida e hermeticamente fechada, parecendo algum tipo de compartimento futurista para dormir. Estava montada em cima de um grande aparelho eletrônico [uma microbalança de alta precisão]. (...) – Se eu puser uma pessoa dentro desta cápsula e fechar a tampa, o indivíduo estará em um sistema totalmente isolado. Nada entra nem sai. Nenhum gás, líquido ou partícula de poeira. Nada pode escapar: nem as expirações da pessoa, nem o suor por evaporação, nem fluidos corporais, nada. (...) – Hum, é claro que uma pessoa morreria aí dentro bem depressa. (...) – Em uns seis minutos, dependendo do ritmo respiratório. (...) ...havia um homem muito velho usando uma máscara de oxigênio lá dentro. (...) O enfermeiro então afastou o respirador artificial e os outros equipamentos, deixando o velho dentro da cápsula (...) de repente, como se houvesse escolhido o momento por conta própria, ele deu seu último suspiro. Tudo parou. Era o fim. (...) Foi então que aconteceu. (...) Segundos depois da morte do homem, os números da balança diminuíram de repente. Ele se tornara mais leve imediatamente após a morte. A diferença era minúscula, porém mensurável... e aquilo tinha implicações assombrosas.(...) – Katherine, acho que você acabou de pesar a alma humana.” O SÍMBOLO PERDIDO – Dan Brown.

Todos devem ter tomado conhecimento do novo livro do Dan Brown, “O Símbolo Perdido”. Mas antes que você feche seu navegador pensando que esse é mais um texto crítico a respeito deste Best-Seller, fiquem tranquilos, só iremos citá-lo. Pois foi após ler esse livro que me chamou atenção a tal “Ciência Noética” e o “Peso da Alma”. E como eu sei que a maioria das ficções dos livros do Dan Brown tem um pano de fundo realístico, fui eu atrás do assunto. E fiquei bem curiosa, espero que vocês também.


“(...) Katherine teve uma idéia estranha. Peter havia mencionado o Livro de Gênesis e sua descrição da alma como Neshemah (um sopro de vida), uma espécie de “inteligência” espiritual separada do corpo. Ocorreu-lhe que a palavra “inteligência” sugeria a presença do “pensamento”. A ciência noética propõe que os pensamentos têm massa, portanto, era lógico que a alma humana também poderia ter. Será possível pesar a alma humana?” O SÍMBOLO PERDIDO – Dan Brown.


Alguns chamam de “Alma”, os mais céticos preferem chamar de “Mente”, mas todos comungam o fato de existir algo eterno e intangível dentro desse nosso corpo material, que animal nenhum tem igual. Mesmo assim, muita gente ficou surpresa com uma reportagem de capa do jornal norte-americano The New York Times que dizia que alguém tinha comprovado a existência da Alma pesando-a. Já parou pra pensar quantas gramas sua alma pesa? Mas antes de mais nada, para que não haja dúvidas do que realmente se foi pesado, vamos consultar um dicionário.


“Alma é um termo que deriva do latim anǐma, este refere-se ao princípio que dá movimento ao que é vivo, o que é animado ou o que faz mover. Religiosamente é definida como um ser independente da matéria e que sobrevive à morte do corpo, que se julga continuar viva (...).” WIKIPÉDIA


É sob essa concepção religiosa de que a alma continua viva mesmo depois da morte do corpo, que o cientista Duncan MacDougall em 1907 deu início a uma série de experiências no mínimo estranhas. Pesou seis pessoas que estavam em estado terminal, antes, durante e após a morte. Ele constatou que no processo de morte o corpo ia perdendo peso lentamente até que ao entrar em óbito, a super-balança em que a pessoa estava deitada indicava uma significante perda de peso. MacDougall fez as mesmas experiências com quinze cachorros e o ponteiro da balança nem saiu do lugar.

“Para provar a sua hipótese, equipou seis leitos com balanças de boa precisão e ocupou-os com pacientes que estavam à beira da morte. Seguiu-se um período de observação, durante o qual o doutor esperou pela morte de seus pacientes. Cuidadoso, certificou-se de que a perda de peso medida já antes da morte era devida aos fluidos eliminados pelos pacientes pelo suor ou urina; após a sua evaporação, as balanças acusavam uma pequena perda de peso.” JORNAL DA CIÊNCIA


Das seis pessoas em fase terminal que o doutor fez a experiência, cada uma delas resultou em um peso de alma diferente. Algumas delas ele não conseguiu fazer a experiência de forma efetiva, pois a “cobaia humana” morria antes mesmo dos instrumentos estarem ajustados. Mas a cobaia que passou pela análise mais bem feita, segundo MacDougall, resultou em 21 gramas de alma. Foi então que até criou-se o viral de que a alma humana pesava isso, e até foi feito um filme a respeito, com o sugestivo título “21 gramas”. Por essa inconsistência no estudo do doutor, a comunidade acadêmica, a crítica e os céticos caíram em cima das experiências, e não faltaram argumentos para justificarem a perda de peso das pessoas, e a ausência desse fenômeno nos animais. Meio constrangido, o doutor admite que sua experiência não foi lá muito bem feita, e que ela teve sim alguns furos, mas que ele está convencido de que a alma existe e de que ela pode ser pesada. E ele vai atrás de refazer com mais cuidado as experiências.

“Dos seis testes, dois tiveram que ser eliminados devido a erros nas balanças: num deles, a balança não havia sido calibrada corretamente; o outro morreu tão rápido que o médico não teve tempo de calibrá-la. Dos outros três, dois indicaram uma perda de peso que continuou durante um bom tempo, e o último indicou uma perda de peso que depois reverteu ao normal. (...) O doutor repetiu o experimento com quinze desafortunados cachorros, não encontrando qualquer diferença no momento da morte. O resultado não o surpreendeu. Pelo contrário, serviu de apoio à sua conclusão. Afinal, cachorros não têm almas.” JORNAL DA CIÊNCIA

Outra coisa interessante é a distinção entre almas. O doutor justifica a diferença de peso das almas e da diferença de tempo que cada alma levou para “deixar de vez o corpo” com o temperamento dessas pessoas. Percebam o argumento interessante (mas bizarro) de MacDougall:

Segundo o médico, a diferença tinha a ver com o temperamento de cada um. “ - Um dos homens era apático, lento no pensamento e na ação, nesse caso, acredito que a alma ficou suspensa no corpo, depois da morte, até se dar conta de que estava livre”. SUPERINTERESSANTE

É bem verdade que esse papo de ciência noética (que vamos falar em outros posts) e peso da alma ficou bem mais conhecido depois da publicação do livro de Brown. Mesmo esses assuntos sendo desacreditados por tanta gente cética e/ou estudiosa do assunto. Mas o fato é que esse é mais um assunto estranho e curioso que só comprova aquela velha premissa de que existem mais coisas entre o céu e a terra do que podemos imaginar. E o coitado do doutor McDougall, mesmo desacreditado na sua mais importante pesquisa, quando morreu, recebeu uma bela de uma homenagem no mesmo jornal norte-americano que cerca de 13 anos antes tinha publicado seu estudo tão entusiasmado. No dia 16 de outubro de 1920, o The New York Times anunciou sua morte com o título "Ele pesou a alma humana". Pra mim isso é um reconhecimento post mortem. Mas entendam como quiserem.


Aldrêycka Albuquerque

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tuítes Apocalípticos do Porque2012