segunda-feira, 26 de abril de 2010

O Efeito Nostradamus - The History Channel














A History Channel é um canal sério que como poucos traz reportagens extremamente interessantes e curiosas.
Pois bem, a pouco tempo estreou uma grande série de documentários divididos em vários temas intitulados de:                

"O Efeito Nostradamus".

Estes são alguns dos temas relacionados a esta série:
Segredo Dos Sete Selos, Terceiro Anticristo, O Armagedom de Da Vinci, Filho de Nostradamus, Os Hieróglifos Do Juízo Final, A Profecia Perdida de Fátima e Extinção Em 2012.
Este último (“Extinção Em 2012”) foi o escolhido para começar nossa série de documentários  superinteressantes.

Como coisas estranhas e curiosas é o tema central do nosso blog,  eu quis compartilhar com todos este excelente documentário que fala um pouquinho do que já foi falado aqui no "O Estranho Curioso” e ainda será.

Vale à pena conferir!

Pra quem gosta de estranheza, isso é só o começo...

Divirtam-se!


Extinção Em 2012



Em sequência está da 2° parte em diante:

O Efeito Nostradamus- Parte 2/5
O Efeito Nostradamus- Parte 3/5
O Efeito Nostradamus- Parte 4/5
O Efeito Nostradamus- Parte 5/5

Em breve trarei os outros temas.

Iêda Araújo


sábado, 24 de abril de 2010

Zecharia Sitchin

Zecharia Sitchin é um erudito, especialista na história e na arqueologia do Oriente Médio e do Antigo Testamento. Traduz a escrita cuneiforme da Mesopotâmia e outras linguagens antigas e ocupa o cargo de Consultor da Nasa. Pertencente a um pequeno número de estudiosos que conseguem ler as tábulas de argila encontradas na Mesopotâmia.
Segundo ele, seu interesse, começou ainda em seus dias de escola. Ele estava estudando a Bíblia (Antigo Testamento) em seu idioma original, o hebraico, quando finalmente a turma chegou ao capítulo 6 do Gênesis, a história do Dilúvio.
O capítulo começa com vários versos enigmáticos, dizendo que no tempo pouco antes do Dilúvio, "havia gigantes sobre a Terra", e eles se casaram com as filhas do homem e tiveram filhos delas.
Então o pequeno Zecharia Sitchin levantou a mão e perguntou à professora por qual motivo aquela senhora dizia "gigantes" quando a palavra na Bíblia é Nefilim, que significa "aqueles que desceram", e não obviamente "gigantes". A precisar pela idade do Senhor Sitchin, podesse perceber que tal genialidade não agradou a professora. Em vez de o elogiar por seu conhecimento de hebraico, ela o repreendeu, pois ela, como todas as pessoas, reagiu em protesto: Não se questiona a Bíblia!
 A partir deste dia Sitchin começou uma busca incansável pela verdade que ele acreditava.

Fonte: Shvoong


Nascido em 1922 é autor de livros defendendo uma versão da teoria dos astronautas antigos para a origem da humanidade.
Ele atribui a criação da antiga cultura suméria aos "annunaki" (ou "nefilim"), uma raça extraterrestre nativa de um planeta chamado Nibiru, que se encontraria nos confins do Sistema Solar.
Ele afirma que a mitologia suméria é a evidência disto, embora suas especulações sejam descartadas pela maioria dos cientistas. Alguns historiadores e arqueólogos convencionais discordam de sua tradução dos textos antigos e de sua interpretação da física.

Sitchin formou-se pela London School of Economics, da Universidade de Londres, graduando-se em história econômica. Foi jornalista e editor em Israel durante muitos anos, vivendo atualmente na cidade de New York, onde edita seus livros. Suas obras foram largamente traduzidas, inclusive para o braille. Adquiriu conhecimentos do hebraico antigo e moderno e outras línguas européias e semíticas, do Velho Testamento e da história e arqueologia do Oriente Próximo.

Fonte: Wikipédia.

Em 1976, publicou Tewlfht Planet (O 12° planeta) e assim começou sua trajetória transformadora da pesquisa da história antiga. Em 1993, lançou seu sexto livro, parte da série de Earth Chronicles (Crônicas da Terra).
Sitchin defende que os Anunnaki não são uma alegoria ou criação fabulosa dos sumérios; antes, são seres humanóides que habitam o misterioso planeta Nibiru.
Polêmico, Sitchin fundamenta suas teorias em rigorosas traduções dos textos sumérios, escrituras Védicas (indianas) e textos originais da Bíblia escritos em hebraico e grego.




Bibliografia de Sitchin


· O 12ºPlaneta
· A Escada para o Céu
· O Livro Perdido de Enki
· Guerra de Deuses e Homens
· Os Reinos Perdidos
· Gênesis Revisitado
· When Time Began
· Divine Encounters
· The Cosmic Code
· End Of Days


O autor do livro "Os astronautas do Passado" e do "12º Planeta" - Zecharia Sitchin concedeu uma entrevista, digna de ser devidamente apreciada. Entrevista completa


Iêda Araújo

sábado, 17 de abril de 2010

Geoglifos ou Crop-Circles



Geoglifos ou Crop-Circles são desenhos - figuras geométricas, antropomorfos (formas humanas) e zoomorfos (formas animais) – geralmente encontrados em plantações por toda parte do mundo e que só podem ser compreendidos do alto. É provável que a Inglaterra seja o país que mais tenha esses geoglifos, tanto os verdadeiros como os fakes criados pelos “circle-makers”. Foi nesse país a origem do primeiro registro de um crop-circle, de um jornal da década de 1670.


O mais antigo relato de Crop Circles data de 1678. Em 1880 houve uma investigação dos Crop Circles, levada a cabo por um cientista amador Rand Capron, que as atribuiu a causas meterológicas. Havia uma clara descrição dos padrões. (FONTE)


Já se sabe que 80% dos "círculos" encontrados na Inglaterra são feitos pelo homem (Circlemakers.org) e não trabalho de seres extraterrestres. Doug Bower, Dave Chorley e John Lundberg são conhecidos por terem feito um grande número desses círculos. Bower e Chorley chegaram a ganhar o Prêmio IgNobel em 1992 pelos seus trabalhos. (FONTE)


O mundo todo já tem registros desses desenhos. Os geoglifos verdadeiros apresentam algumas peculiaridades: níveis altíssimos de energia eletromagnética; não possuem pegadas humanas ou marcas de máquinas em seu redor; não podem ser vistas nem percebidas do chão; as plantas são suavemente dobradas até se inclinarem e darem o efeito do desenho; as valas no chão, ao chover não enchem.

Na Amazônia, recentemente, foram encontrados geoglifos (VIDEO) que até então estavam escondidos por árvores que, depois de desmatadas, revelaram desenhos geométricos incríveis datados de mais de mil anos atrás. Os mais conhecidos desenhos das Américas são as “Linhas e Geoglifos de Nasca”, no Peru, desenhos elaboradíssimos datados de III a VIII A.C.


A explicação da existência dessas linhas então varia desde criação por seres extraterrestres, de calendários, pura demonstração de arte e sabedoria (de um povo que tinha até complexos sistemas de aquedutos e técnicas agrícolas) ou então culto aos deuses. (FONTE)


Muitas pessoas acham que esses desenhos só podem ter sido feitos por extraterrestres. Não teria lógica, povos antiqüíssimos terem a idéia ou a capacidade e tecnologia para criarem desenhos tão elaborados e que só poderiam ser visto olhando-se de um avião, balão ou algo parecido. Uns dizem que são avisos extraterrenos para que “aliens malvados” não nos faça nenhum mal. Outros alegam que estes desenhos podem ter sido feitos por povos antigos pilotando balões e com o intuito de fazer culto aos deuses.







Outra coisa estranha é que existem aqueles que afirmam que pessoas que passaram algum tempo olhando esses crop-circles começaram a ter flashes de memórias e alguns chegaram até a psicografar mensagens encriptadas. Baseando assim a idéia de que estes sinais são extraterrestres e que são mensagens para nós ou até instruções. Acreditando em ETs ou não esses símbolos são ao menos curiosos.





No post anterior Sinais no Céu;
Agora, Sinais na Terra.

"E farei aparecer prodígios em cima, no céu; E sinais em baixo na terra." Atos 2:19


Aldrêycka Albuquerque




Sinais no céu


No último post, citei uma fonte bastante curiosa (AQUI) que mostrava várias fotos do Sol em diferentes momentos, diferentes partes do mundo e por diferentes fotógrafos. Todas as fotos têm as mesmas características: um Sol difuso, ao invés de circular; dois corpos sempre o circundando – sempre um branco e outro avermelhado; um brilho em forma de cruz; e muitas vezes um possível planeta rondando ao lado do astro rei. 


Algumas pessoas dizem que estes fenômenos registrados em fotos são efeitos do reflexo do Sol mediante a sua claridade extrema; Já alguns profissionais da fotografia afirmam ser impossível serem reflexos, uma vez que esses “sinais” não obedecem padrões e geralmente demonstram inclinações que não seria possível se fosse apenas um reflexo do próprio Sol. Os simpatizantes dos Sumérios dizem que é Nibiru, o segundo sol; Outros se restringem a chamar de mistérios astronômicos da atualidade; A NASA chama de fake ou de truques da lente da câmera. Sendo uma coisa ou outra, o fato é que de uns anos para cá alguns fotógrafos (amadores e profissionais) estão achando o Sol estranho. Ou por seu tamanho e forma que não mais estão redondas, ou por esses possíveis corpos celestes que andam aparecendo ao seu redor. Essas fotos estão aparecendo cada vez mais na internet, e no mínimo são estranhas.



Enquanto eu estava questionando o “quê” de anormal e estranho dessas fotografias, escuto no noticiário o tal “meteoro” que foi visto em quatro estados americanos. ESTRANHO! Um meteorito que teria caído na Terra mais que não deixou cratera, que se desintegrou muito depois de ter entrado na nossa atmosfera (não sabe-se como nem porque), que se mostrou no nível do nosso horizonte e tinha proporções avantajadas demais para ter sido um fenômeno ocorrido tão alto e longe de nós.


Um meteorito que caiu na terra deixou um rastro de luz e se desintegrou em um grande clarão no meio-oeste americano. Uma webcam instalada no telhado de uma universidade na cidade de Madison, no estado de Wisconsin, registrou o momento. A luz chegou a ser vista também nos estados de Missouri, Illinois e Iowa. Aparentemente, o corpo celeste não causou estragos. FONTE: G1

(http://www.youtube.com/watch?v=S-TYo1LgHr4)


Depois achei a estranha espiral que apareceu no céu da Noruega. O governo norueguês afirma que foi um míssil russo que explodiu e causou esse efeito no céu, também assegurou que um fenômeno astronômico não duraria tanto tempo (aprox. 2min). O engraçado é que a Rússia disse que não enviou míssil nenhum, muito menos que tenha explodido em solo estrangeiro. Porque apenas não dizer que não tem a mínima noção do que foi aquilo? Mais ESTRANHEZA . 


O fenômeno começou quando uma luz azul surgiu de trás de uma montanha, parou no meio do ar e começou a girar. Em segundos, uma espiral gigante teria se formado e coberto o céu. Então, um feixe azul-esverdeado de luz saiu de seu centro, durando entre dez e 12 minutos antes de desaparecer completamente. A reportagem afirma que, segundos após o incidentes, o Instituto Meteorológico da Noruega foi inundado de telefonemas – e que muitos astrônomos não acreditam que as luzes estejam ligadas às auroras, fenômenos comuns na região. FONTE: INFO ABRIL

(http://www.youtube.com/watch?v=mLWGscM1QPo)



No que eu acredito?

"E farei aparecer prodígios em cima, no céu; E sinais em baixo na terra, Sangue, fogo e vapor de fumo. O sol se converterá em trevas, E a lua em sangue, Antes de chegar o grande e glorioso dia do Senhor."
Atos 2:19-20

"E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações."
Lucas 21:25


O que eu acho disso tudo? 
   Simples! Os mistérios dos céus estão crescendo tanto que a NASA não está mais dando conta de abafá-los. São blogs, youtube, comunidades que não perdem um segundo do que está acontecendo com o mundo. Hoje cada centímetro do globo está na mira de uma câmera, seja ela de um satélite, seja ela do celular de um amador. Tudo está sob a vista de todo o mundo. A NASA está agora muito ocupada tentando arrumar desculpas esfarrapadas para justificar os sinais dos céus.


E você? Acredita em quê?

Aldrêycka Albuquerque

terça-feira, 13 de abril de 2010

Nibiru ou Planeta X


Como já foi falado aqui no blog, Nibiru é um planeta que os Sumérios acreditavam que existe, posteriormente outras civilizações, inclusive a Egípcia também confirmou essa existência. Segundo esses povos antigos, a órbita deste planeta é elíptica e extremamente alongada. Segundo registros cuneiformes sumérios, Nibiru há milhares de anos orbita no nosso sistema solar, porém tem um padrão de órbita tão diferente dos outros planetas do nosso sistema, que ainda não o achamos. Até aí parece conto de carochinha, mas tem um detalhe: se os sumérios acertaram cálculos gigantes sobre a distância de cada planeta, as suas órbitas e até a composição destes corpos celestes, por que eles iriam errar sobre a existência desse tal Planeta Nibiru?

Os sumérios descreviam nosso sistema solar como um conjunto de 12 corpos celestes significativos – Sol, Mercúrio, Vênus, Lua, Terra, Marte, Júpter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão. Na linguagem zodiacal, estes astros são todos chamados "planetas", embora, entre eles, os antigos incluíssem a Lua e o Sol. Isso significa que os mesopotâmios, não somente possuíam um inexplicável conhecimento astronômico; eles também afirmavam a existência de planetas que somente a ciência contemporânea pôde reconhecer muito recentemente - Urano, Netuno e Plutão só foram “descobertos” em 1781, 1846 e 1930 respectivamente. Até hoje Nibiru é o 12º planeta desconhecido, porém procurado. Ora, se os Sumérios, há 6 mil anos, estavam corretos em relação aos nove planetas reconhecidos hoje porque não poderiam estar, igualmente corretos, em relação a Nibiru? FONTE


Completando a estranheza, os Sumérios também chamavam Nibiru de “Planeta Vermelho” ou “Planeta da Passagem” e o desenhavam como uma bola vermelha de asas. Curiosamente os Egípcios muito tempo depois faziam o mesmo desenho. Segundo o estudioso Zecharia Sitchin, Nibiru tem uma órbita de 3.600 anos, ou seja, a Terra leva 1 ano para fazer o contorno ao Sol, enquanto Nibiru por causa da sua órbita gigantesca, demoraria 3.600 anos para completar sua órbita.

Bem, até aí você teve argumentos para pelo menos pensar na possível existência desse planeta, agora vem a parte curiosa: Segundo os Sumérios, está nas mãos de Nibiru o destino do nosso planeta. A cada 3.600 anos Nibiru passa próximo a Terra e ocasiona catástrofes no nosso planeta. Da última vez que ele passou, causou o dilúvio, e sua aproximação é a causa das mudanças climáticas da atualidade. E dia 21 de Dezembro de 2012 fecha-se mais um ciclo, ou seja, Nibiru completa sua órbita. Além de que nesse dia haverá um alinhamento de todos os planetas, inclusive nosso querido planeta vermelho alado. Porém isso não é tudo, os Sumérios ainda diziam que Nibiru era habitado por um povo extremamente mais avançado que nós e que “deram um empurrãozinho” para nossa evolução. Calma, não pasmem, posteriormente teremos um post para os tais habitantes de Nibiru, os Anunnakis.

E mais, segundo os Sumérios, Nibiru é habitado. Eles diziam que os deuses moravam lá e vinham para terra quando o planeta se aproximava. Os chamavam de Anunnaki, que significa "aqueles que do céu a terra vieram". Eles teriam criado o homem como o conhecemos hoje (homo-sapiens), e acham que a Terra e nós mesmos são sua propriedade. Então, se Nibiru aparecer, além de problemas de ordem física em nosso planeta, muito provavelmente teremos que lidar com alguns visitantes que talvez se mostrem muito indesejados. FONTE


Os arqueólogos dizem que este símbolo representa o Sol. Mas talvez essa não seja bem a verdade. Os egípcios deviam conhecer Nibiru, assim como os sumérios, pois seu império durou milênios. Tempo suficiente para poder testemunhar pelo menos uma das passagens deste planeta por aqui. FONTE
Alguns acham que o tal globo alado egípcio se refere a uma estrela, mas como o próprio Zecharia Sitchin afirma, quando Nibiru atravessar nosso Sistema, nós da Terra veremos um “Segundo Sol” no céu com tom avermelhado. É válido citar aqui o Nando Reis, e perguntar: seria ele um profeta?!

Segundo Sol – Nando Reis

Quando o segundo sol chegar
Para realinhar as órbitas dos planetas
Derrubando com assombro o exemplar
O que os astrônomos diriam se tratar de um outro cometa...
Não digo que não me surpreendi
Antes que eu visse, você disse
E eu não pude acreditar
Mas você pode ter certeza
De que seu telefone irá tocar
Em sua nova casa
Que abriga agora a trilha
Incluída nessa minha conversão
Eu só queria te contar
Que eu fui lá fora
E vi dois sóis num dia
E a vida que ardia
Sem explicação...


O que devemos refletir é se realmente Nibiru existe. Alguns chegam até a dizer que a Nasa o chama de Planeta X e que ela tem fotografado um “dócil corpo celeste” que misteriosamente está se aproximando ao nosso Sistema Solar e, detalhe, este planeta é vermelho. Outros dizem que este planeta já é visto da Terra, mas em alguns lugares específicos e não de forma muito clara – AINDA. Nesse site AQUI você encontra fotos de diversas partes do mundo do tal “planeta da passagem”.



 
Acreditando ou não, é sempre bom saber! 
Aguardem o próximo post sobre os Anunnakis, os moradores do Planeta Nibiru.


Aldrêycka Albuquerque


(As fontes estão nos links das citações!)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tuítes Apocalípticos do Porque2012