sábado, 16 de fevereiro de 2013

Sinais no céu [ Reloaded 2.0 ]



Pessoal, em 2010 eu fiz um post a respeito de sinais que estavam aparecendo nos céus por toda parte do mundo. Naturalmente o fenômeno persiste e cada vez mais acompanhado, seja por uma equipe de televisão, seja por um curioso em posse de um celular com câmera.

Além deste fenômeno poder ser uma prova de realizações bíblicas proféticas, como em Lucas 21:11 ("E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu."), podemos estar percebendo um padrão aqui. Antes de grandes catástrofes como Terremotos, Tempestades e Tsunamis, as pessoas parecem estar cada vez mais relatando esse tipo de fenômeno nos céus. Bolas de luz, feixes de luz, colunas de luz. 

Assustador? Vejam agora alguns acontecimentos do dia de ontem, 15/02/2013 pelo mundo: meteorito deixa cerca de mil feridos na Rússia, Meteoro de 45 metros passando 'raspando' e 'inofensivamente' na Terra e por último, no céu da Califórnia são vistas luzes esverdeadas. Estamos às portas de alguma catástrofe de ordem mundial? O Calendário Maia estava alguns meses atrasados? hahahah

Enquanto nada de pior ainda não nos acontece, acompanhem os avistamentos nestes vídeos que selecionei abaixo:



Céu da Califórnia [15/02/13] - Bola de luz.


Céu do Rio de Janeiro [17/02/13] - Rastro de fogo. (atualizado)


Céu do Japão  [2012] - Colunas de luz.



Céu do Brasil / Paraná [2012] - Feixe de luz.


Antes de terremoto de 2011 no Chile:


UP [26/02/13]: Me permitam fazer uma atualização deste post. É uma notícia do dia 20/02 (quatro dias após esta postagem ter sido publicada): Meteoros cruzam céus do Rio e do Espírito Santo e assustam moradores.

"Cinco dias depois da explosão de um meteoro na Rússia, moradores do litoral norte do estado do Rio e de algumas cidades capixabas levaram um susto ao olhar para o céu. A câmera de segurança de uma transportadora, na cidade de Serra, no Espírito Santo, registrou a passagem da bola de fogo às 10h15 da manhã. Segundo a Infraero, funcionários da torre de controle do Aeroporto de Vitória também viram o rastro luminoso no céu, mas não chegaram a alertar os pilotos. O fenômeno também foi observado em outras cidades capixabas e no litoral norte do Rio de Janeiro." G1

E aí, pessoal? Estranho?



Aldrêycka Albuquerque.


E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu.
Lucas 21:11
E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu.
Lucas 21:11
E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu.
Lucas 21:11

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Sai Ratzinger para dar lugar a Petrus Romanus?


De Gloria Olivae a Petrus Romanus


Para quem acompanha O ESTRANHO CURIOSO no Facebook, lembra bem que em Dezembro de 2012 compartilhei um texto sobre a Profecia dos Papas de São Malaquias. Hoje, um dia após a renúncia de Joseph Ratzinger ao posto de Papa, uma dúvida nos amedronta: estamos a poucos dias de conhecer o último Papa de Roma? O Petrus [Terrível] Romanus dito por São Malaquias? 

Para quem não conhece a referida profecia, segue um breve resumo. No ano de 1139 São Malaquias (Arcebispo de Armagh, Irlanda), em visita ao então Papa Inocêncio II em Roma, teve uma experiência espiritual na qual teve uma visão sobre os papas que adviriam. Enquanto tinha essa visão, São Malaquias ficou em uma espécie de estado de transe em que apenas repetia insistentemente, 112 curtas frases em latim. Ao serem estudadas, posteriormente, cada uma das frases se referia a cada um dos papas católicos romanos (e até alguns antipapas, pessoas que durante a história se auto-intitularam papas de forma não canônica). A lista dos 112 pontificados começa com o Papa Celestino II (eleito em 1143) e é concluída com o último Papa, chamado por São Malaquias de "Petrus Romanus" ou Pedro o Romano. Nesta ordem, Bento XVI (De Gloria Olivae) era o penúltimo Papa desta lista, e agora com sua renúncia, Petrus Romanus está mais perto que nunca.



"Na última perseguição à sagrada Igreja Romana reinará Pedro o Romano, que ALIMENTARÁ as suas ovelhas com muitas tribulações; passadas as quais a cidade das sete colinas (Roma) será destruída e o juiz terrível julgará o seu povo. Fim." Profecia de São Malaquias

Chegamos a nos perguntar ainda no ano passado, se a referência de São Malaquias ao Petrus Romanus seria muito similar ao FALSO PROFETA falado no Apocalipse. Não é de hoje que se suspeita que o Papa é a besta, o anticristo ou o Falso Profeta. Desde João Paulo II muita gente vem teorizando essa possibilidade. Mas vamos pela palavra ver se encontramos alguma semelhança.

"Na última perseguição à sagrada Igreja Romana reinará Pedro o Romano, que ALIMENTARÁ as suas ovelhas com muitas tribulações." Profecia de São Malaquias
"E da BOCA do dragão, e da boca da besta, e da boca do FALSO PROFETA vi sair três espíritos imundos, semelhantes a rãs." Apocalipse 16:13

"E ENGANA os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença da besta (...)" Apocalipse 13:14


Bem, o objetivo aqui não é apresentar a vocês a invenção da roda. Como falei, não é de hoje que a figura do Papa é tida como elemento importante do Apocalipse. Mas convenhamos que as semelhanças são muitas! Nessa passagem de Apocalipse transcrita abaixo, a tal mulher (conhecida como a Grande Prostituta) pode ser entendida como a Igreja Católica, que até hoje se veste com as mesmas cores e que está até o pescoço dos maiores pecados e abominações. A pedofilia é apenas a bola da vez. Além da conhecida Inquisição, muitas são as depravações que a Igreja Católica vem praticando desde quando foi instituída. O Vaticano, por exemplo, construído com dinheiro sujo e com sangue de inocentes, era onde os primeiros Papas, homens cruéis e pervertidos, realizavam suas festas depravadas herança dos Césares, cheias de aberrações sem precedentes. Hoje, tanto tempo depois, parece que o mundo perdoou aquela Terra por seus pecados e até a chamam de sagrada.
"E a mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada com ouro, e pedras preciosas e pérolas; e tinha na sua mão um cálice de ouro cheio das abominações e da imundícia da sua prostituição; E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra." Apocalipse 17:4-5



Se o próximo Papa realmente será o último do Império Romano Cristão (Vaticano - Igreja Católica), nós só saberemos daqui um tempo. Mas é de suma importância estarmos atentos a todas as consequências que um Petrus Romanus poderá trazer ao mundo. Mais sutil do que se pensa, o Falso Profeta pode vir igual como fala na Bíblia e mesmo assim fazer muito cristão não conseguir destinguí-lo. Sejamos sábios!



Aldrêycka Albuquerque


FONTES:
http://2012aeradeouro.webnode.com.br/products/profecias-dos-papas/
http://solascriptura-tt.org/Seitas/Romanismo/AGrandeProstituta-porMSchultze.htm
http://maniadehistoria.wordpress.com/o-imperio-dos-papas/
http://www.nostradamus.net.br/destino.html 

sábado, 19 de janeiro de 2013

Lilith, a primeira mulher de Adão.


Lilith, John Collier (1892).



O livro de Gênesis é bastante debatido em seus primeiros capítulos que se referem à criação humana. Existem questionamentos quanto ao termo “à nossa imagem e semelhança” estar no plural e não no singular, outros questionam a criação do homem ter sido feita do barro, ou o porquê de Eva ter sido feita da costela de Adão. Mas uma questão incomum é a presença de uma figura feminina chamada Lilith no momento da criação do ser humano, fato tão presente na cultura judaica (e também no folclore hebreu, na mitologia Suméria entre outros lugares), porém tão negligenciada pela versão atual da Bíblia Sagrada. Nos dias atuais, Lilith só é citada uma vez na Bíblia, em Isaías 34:14 (ver comentário a respeito ao longo do texto), e mesmo assim, só em versões mais antigas das escrituras.

Decidi então pesquisar mais sobre essa criatura, e descobri algumas coisas interessantes, para alguns até inquietantes. Mas desde já, lá vai um aviso aos navegantes: essas são teorias (conspiratórias?) que não podem ser provadas, e bem como a Bíblia, é uma questão de se acreditar ou não. E mesmo se acreditando nela, ao meu ver, não muda em nada as bases da fé cristã, mas sim abre nossas cabeças para o fato de que pode existir um mundo de outros acontecimentos que não foram colocados (agrupados) na Bíblia que temos atualmente. Todavia, ao meu ver, isso não é suficiente para mudar ou desacreditar o teor que as escrituras nos ensinam. Então, antes de ler o texto a seguir, tenha sabedoria, discernimento e principalmente respeito aos que acreditam (ou não) nas escrituras. Leiam, tirem suas próprias conclusões, mas tenham em mente que tudo aqui são suposições que se fossem provadas, não mudariam o sentido da vida. Então, sem crises existenciais, okay?

Lilith, ou Lilit (em hebraico: לילית) é principalmente conhecida como um demônio feminino da mitologia Babilônica que habitava lugares desertos. Os primeiros registros que se tem dela é sob o nome Lilitu, representando uma categoria de demônios na Suméria de 3000 A.C. Na Suméria e na Babilônia ela ao mesmo tempo que era cultuada, era também identificada como espírito maligno. Muitos estudiosos atribuem a origem do nome fonético Lilith por volta de 700 A.C., e com este nome é referida em diversos textos antigos sendo o mais notável o Antigo Testamento (livro de Isaías). Porém uma teoria interessante é a de que Lilith tenha sido uma mulher criada por Deus antes de Eva, simultaneamente à criação de Adão e inclusive da mesma forma que ele foi criado (do barro). Ou seja, Lilith pode ser sido a primeira esposa de Adão, antecessora a Eva.

“Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” Gênesis 1:27.

Porém, no capítulo seguinte, Deus percebe que Adão está sozinho (novamente?) e seria bom criar para ele uma mulher (outra?), e interessante, que seja idônea (a outra não era?): 

“Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea.” Gênesis 2:18. 

A confusão interpretativa si dá a partir do momento em que Deus cria o homem (ser humano) no capítulo 1, fazendo-o macho e fêmea, e logo depois no capítulo 2, Ele cria uma (outra?) mulher, não mais do mesmo barro, mas agora da costela de Adão: 

"E da costela que tinha tomado do homem, o Senhor Deus fez uma mulher, e levou-a para junto do homem.". Gênesis 2:22

Dessa forma, é possível imaginar que uma edição (corte) possa ter sido feita entre o capítulo 1:28 e o capítulo 2:21. É provável que este corte tenha ocorrido em época bastante remota, como no quarto século antes de Cristo, quando se supõe que o texto escrito tomou uma forma próxima da atual. O capítulo 1:28 sustenta ainda mais esta hipótese: 

"E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra ..." Gênesis 1:28

Como seria possível abençoar a ambos e recomendar a multiplicação se Eva ainda não tinha sido criada (só foi criada no capítulo 2)? E o caso fica ainda mais estranho no versículo seguinte, na criação da (segunda) mulher criada da costela, quando Adão parece gostar da (nova) mulher criada e faz um comentário bem peculiar:

"Disse então o homem: Esta sim (ou ‘agora sim’, em algumas versões), é osso dos meus ossos e carne da minha carne! Ela será chamada mulher, porque do homem foi tirada." Gênesis 2:23

Assim, acredita-se que essa afirmação de Adão é uma das provas da existência de outra fêmea criada antes de Eva, que provavelmente não era carne da sua carne. Tendo, a mulher anterior, sido criada do mesmo barro que ele, seria assim igual, e não inferior a Adão.



Lilith é muito conhecida na cultura (folclore?) judaica (o). Segundo eles acreditam, a mulher criada do barro juntamente com Adão se mostrou indomável, maléfica e teria deixado a presença de Adão, e então expulsa do Paraíso. Algumas vezes ela é tida como a serpente que teria tentado (seduzido?) Eva, a mulher que teria casado com Caim (Gênesis 4:17), uma vampira, uma sedutora que castrava os homens que seduzia, e por fim, um bicho maléfico ou animal noturno, termo encontrado nas traduções recentes da Bíblia (Isaías 34:14). Por sinal é neste versículo em Isaías onde o nome Lilith é citado unicamente na Bíblia atual. Mesmo assim, mais recentemente, teria sido trocado por coruja (em inglês) ou (como aqui no Brasil) animal noturno. Acredita que durante o Concílio de Trento (ou muito antes disso), a Igreja Católica retirou as menções a Lilith do Gênesis, e teria deixado seu nome passar apenas nesse versículo em Isaías (como na versão de J. N. Darby abaixo).

“As feras do deserto se encontrarão com as feras da ilha, e o sátiro clamará ao seu companheiro; e os animais noturnos ali pousarão, e acharão lugar de repouso para si.”
Isaías 34:14 – Versão Almeida Corrigida.

“The wild beasts of the desert shall also meet with the wild beasts of the island, and the satyr shall cry to his fellow; the screech owl (coruja que grita) also shall rest there, and find for herself a place of rest.” Isaías 34:14 – Versão King James.

“And there shall the beasts of the desert meet with the jackals, and the wild goat shall cry to his fellow; the lilith also shall settle there, and find for herself a place of rest.”
Isaías 34:14 – Versão John Nelson Darby.

.
Acredita-se que o motivo da Igreja Católica ter suprimido a criação (e posterior rebelião) de Lilith seria uma das tantas tentativas da igreja de dar o tom patriarcal (machista?) às escrituras. Deixando claro o lugar da mulher de submissa, abaixo hierarquicamente ao homem. Sem contar que deixar passar uma criação, tal qual a de Adão, e que não deu certo, que acabou se rebelando pelo próprio criador e se tornando um demônio, uma maldita, não seria muito “católico”, por assim dizer.


“Deus teria criado um casal: Adão e uma mulher que antecedeu a Eva. Esta mulher primordial teria sido Lilith, figura bastante conhecida da antiga tradição judaica. Lilith não se submeteu à dominação masculina. A sua forma de reivindicar igualdade foi a de recusar a forma de relação sexual com o homem por cima. Por isso, fugiu para o Mar Vermelho. Adão queixou-se ao Criador, que enviou três anjos em busca da noiva rebelde. Os três anjos eram Sanvi, Sansanvi e Samangelaf. Os emissários do Senhor tentaram em vão convencer à fujona. Ameaçaram afogá-la no mar. (...) Lilith foi transformada em um demônio feminino, a rainha da noite, que se tornou a noiva de Samael, o Senhor das forças do mal. (...) Lilith seria uma figura sedutora, de longos cabelos, que voa à noite, como uma coruja, para atacar os homens que dormem sozinhos. As poluções noturnas masculinas podem significar um ato de conúbio com a demônia, capaz de gerar filhos demônios para a mesma. As crianças recém-nascidas são as suas principais vítimas. A crença em Lilith, durante muito tempo, serviu para justificar as mortes inexplicáveis dos recém-nascidos. (...) Finalmente, uma outra tradição judaica afirma que a lendária rainha de Sabá que teria visitado Salomão nada mais era do que Lilith. O sábio rei, contudo, descobriu o ardil, ao levantar a saia da rainha e constatar que as suas pernas eram peludas.” Jardim do Éden revisitado, Roque de Barros Laraia.


Sendo Lilith realmente uma criação de Deus, a primeira mulher de Adão, ou apenas mais um ser demoníaco citado na Bíblia, o importante é salientar (mais uma vez) que isso não muda em nada o fato de existir um Deus supremo criador. O problema é que com o tempo, viemos modificando as escrituras, e interpretando-a de uma forma que coloca a figura de Deus de um lado e Satanás do outro como seu único arque rival. O que possivelmente está errado. Vários são os seres que lutam contra Deus e seus anjos, e Lilith (criação dEle ou não, deixando claro que Satanás – Lúcifer – também é criação de Deus) pode ser apenas mais um desses seres das trevas.

"Além dos demônios que povoavam e aterrorizavam a terra, alguns personalizados, como Azazel (Lev 16:9), Lilith (Is 34:14), Asmodeu (Tob 3:8), entre outros, o Deus hebraico tinha oponentes em sua própria corte, dos quais o mais célebre é Satã." O tempo que os homens ensinaram segredos aos homens, Emanuel Araújo.

“Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.” Efésios 6:12



Sendo assim, entra aqui um gancho sobre estes seres das trevas que desobedecem ao Senhor Deus e aterrorizam, ensinam o que não devem, copulam e corrompem o homem. Seres como Lilith, que um dia foram criados por Deus e que por conta do livre arbítrio, preferiram cair e vagar (não só) pela Terra na busca de quem tragar. E nesta busca vem também o conhecimento que Deus julgou não ser pertinente a nós e que esses seres decidiram nos ensinar como forma de atentar contra o Senhor. Leiam mais a respeito dos “Segredos dos Ceús” no próximo post!


Aldrêycka Albuquerque



FONTES:

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Presença Suméria no Brasil

Ainda pegando o gancho do post anterior sobre os Sumérios na América, imaginem vocês o que eu achei! Evidências de presença suméria no Brasil! Sim, sim! Vejam texto abaixo. :-)


Por onde tudo começa: Sumé e o Caminho Peabirú
O Caminho Peabirú é uma rede de antigas estradas na América do Sul a qual os Incas utilizavam para chegar até o oceano atlântico, em território brasileiro. Esse caminho vai de Cuzco a São Vicente, sendo que projetos de grandes estradas no Estado de São Paulo, como a Castelo Branco, foram estruturados por esse caminho. De Potosi (Patesi em Sumério) a Santa Catarina e outras ramificações que passam por Peru, Bolívia, Paraguai e Brasil.


Segundo os nativos esse caminho foi construído pelo civilizador Sumé ou Xumé, ao qual os jesuítas posteriormente alegaram ser São Tomé. A versão nativa diz que Sumé era um homem barbudo, branco que veio sobre as águas. Os deuses Sumérios e seus reis híbridos são retratados com grandes barbas e eram excelentes navegadores. É evidente que o caminho não foi construído por um homem e sim por vários, sendo que Sumé representa um povo de homens brancos e barbados.
Outra evidência é o próprio nome Peabiru, um termo Sumério popularizado por Zecharia Sitchin foi Nibiru ou Nibru. Este termo foi utilizado em muitas tábuas Sumérias, Acadianas, Assírias e Babilônicas. Uma das tábuas que trata do assunto é Jornada de Enki a Nibru/Nibiru”.
Outro termo que se encaixaria perfeitamente nos idiomas do Oriente Médio é Habiru ou Apiru que era o nome dado pelos Sumérios aos nômades, imigrantes e migrantes que saiam de suas terras para trabalhar. Fica óbvio que esta descrição se encaixa exatamente com a de trabalhadores mineiros imigrando para América do Sul.
Sem querer fazer qualquer tradução, demonstro de forma prática que o nome do caminho é mais uma evidência lingüística da ligação entre os nativos do continente americano e os Sumérios, mais precisamente entre Incas (En-ka) e Sumérios.
Sumérios e seus descendentes no Brasil
Alguns estudos já foram feitos no Brasil sobre a influência de civilizações oriundas do oriente médio em nosso território. Esses estudos tiveram duas linhas: a primeira linha trata da presença de colonizadores Fenícios no norte e nordeste do Brasil, estudos feitos por Bernardo de Azevedo da Silva Ramos e Ludwig Schwenhagen. A segunda linha é sobre a presença da civilização Suméria na América, mais precisamente no Estado de São Paulo, por Peregrino Vidal, pseudônimo utilizado por Frei Fidélis.
O arqueólogo Bernardo de Azevedo coletou mais de 1500 fotos reunidas no valioso, enorme e raro livro Inscrições e Tradições da América Pré-histórica, que propunha através de larga análise epígrafe e de inscrições rupestres a colonização de Fenícios e Gregos no norte e nordeste brasileiro. Os seus estudos se deram principalmente no Estado do Amazonas. 

O austríaco Ludwig Schwenhagen escreveu o livro Antiga História do Brasil – de 1100 a.c. a 1500 d.c. . Nele reúne fotos, desenhos e evidências lingüísticas que comprovam a presença de Gregos e Fenícios no Norte e Nordeste brasileiro. Pesquisou uma área chamada Sete Cidades, a qual disse não ser uma formação rochosa e sim uma Fortaleza construída pelo homem. Também comprovou que muitos nativos se autodenominavam Caras, Cariri, Cari e etc, eram os Cários brasileiros provenientes da Fenícia e Grécia. Os pagés chamavam os padres brancos portugueses de Cários. Outra evidência interessante é a palavra Oka (casa dos índios) é o grego Oeka, Oika, que também quer dizer casa. Exemplo a palavra Cari-oka, “Casa dos brancos” ou “Casa dos Cários”.

Sabidamente, os Fenícios eram descendente da civilização Sumério/Acadiana, assim como todos os povos daquela região. Os Sumérios e Acadianos influenciaram largamente a escrita, astronomia, religião, construção das cidades, leis, agricultura e principalmente a navegação dos Fenícios. Quando os Fenícios apontaram como uma potência marítima a civilização Sumério/Acadiana já estava perto do fim, ou seja, já tinha longos 4.000 anos.

Esquecendo um pouco dos Fenícios e voltando aos Sumérios, é necessário que falemos do grande visionário Frei Fidélis (Peregrino Vidal), nascido na cidade de Primiero, Trento-Itália, em 06 de janeiro de 1885, e brasileiro por opção. Este homem esteve setenta anos a frente do seu tempo, quando afirmou sobre a presença dos Sumérios na América “pré-histórica”. Conhecia com perfeição os idiomas Sânscrito, Italiano, Francês, Latim, Grego, Aramaico, Hebraico, Tupi, Guarani e Sumério/Acadiano, sendo especialista na origem das palavras. Estudou a presença dos Sumérios na América e traduziu toda a Bíblia (de forma subjetiva) para o idioma Sumério/Acadiano.
Escreveu ao todo 4 livros e fez muitos ensaios. Acreditava que América era Atlântida de Platão. Seus estudos estavam baseados em evidências lingüísticas. Demonstrou que os nomes de algumas cidades do interior de São Paulo são de origem Suméria, inclusive o nome do Rio Tietê.
Três Pedras

O local dos seus estudos era na região do Gigante Adormecido, na divisa de Bofete, Pardinho e Botucatu, ao qual faz parte as Três Pedras, que ele acreditava ser um Templo Sumério. Em seus estudos Frei Fidélis afirmava que houve duas grandes imigrações provindas do Oriente, e que o idioma falado na América “Pré-histórica” era o Sumério/Acadiano.


Escrio por:
André de Pierre, Escritor e pequisador

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tuítes Apocalípticos do Porque2012