domingo, 2 de maio de 2010

A Ciência Noética e a força do pensamento



Começemos este post com uma charada: O que os figurões: Charles Darwin, um psicólogo americano chamado William James, os grandes pensadores e psicanalistas Freud e Jung, o gênio Albert Einstein, o cara da luz elétrica, o Thomas Edison, o filósofo Henri Bergson, o escritor irlandês James Joyce, e mais recentemente Dan Brown em seu Best Seller O Símbolo Perdido, têm em comum?
Resposta: Todos eles, cada um do seu jeito, acreditavam (acreditam) na força do pensamento.
E quando eu falo força, falo literalmente – ele tem massa. E tudo o que tem massa pode ser medido e pode interagir fisicamente com o meio que se encontra. Se a única coisa que passou pela sua cabeça agora foi o torcimento de garfos e colheres, você precisa ler esse post o mais rápido possível. O que vamos falar aqui não é charlatonismo, é algo que envolve misticismo, física, tecnologia de ponta, fundamentos religiosos, previsão do futuro e consequências no mínimo estranhas. Prepare-se para se surpreender.
Primeiro vamos a definição teória do assunto segundo o (novo) pai dos (cyber) burros, a Wikipédia.
A noética (do grego nous: mente) é uma disciplina que estuda os fenômenos subjetivos da consciência, da mente, do espírito e da vida a partir do ponto de vista da ciência. Como conceito filosófico, em linhas gerais define a dimensão espiritual do homem. Wikipédia
Em outras palavras, a Ciência Noética tenta provar cientificamente assuntos subjetivos como o pensamento, a alma, milagres e fé. Ela afirma que não existe nada de sobrenatural nos milagres feitos por santos e xamãs, essas manifestações são apenas consequência da força do pensamento. Quando um santo (lê-se qualquer um que faz "milagres") está prestes a efetuar uma cura, por exemplo, ele tem em seu cérebro substâncias químicas que formam uma espécie de substância natual que chega ser curativa. Esta substância se cria pela força do pensamento dos tais santos, monges e tal; e pela força do pensamento é que eles curam as pessoas.
Na verdade, segundo a noética, todos nós temos esse poder dentro de nós, uma vez que somos nossos próprios criadores. Daí começa toda aquela explicação de que somos deuses e que não existe um Deus criador, isso é tudo invenção nossa para lidar com nossas possíveis incapacidades. E que no final das contas somos totalmente capazes de tudo, inclusive de fazer coisas inimagináveis – milagres. Daí você pensa: "Ué, mas como que eu não consigo fazer essas coisas também? Por que eu nunca transformei água em vinho?" A resposta dos noéticos é até bem bonita: "Se dermos um violino a um leigo, é bem provável que ele não consiga tocar uma nota sequer. Bem diferente do que um violonista profissional é capaz de fazer". Em outras palavras, tudo o que separa você do Buda é a prática. Acredite quem quiser.
A ciência noética não deve ser confundida com misticismo. O misticismo procura se conectar com o sobrenatural através da filosofia, fé e experiência religiosa. Já a noética pretende ser uma ciência, isto é, utiliza o método científico para testar suas teorias. Também difere da ciência materialista por descartar visões reducionistas da realidade, por concentrar-se no estudo da subjetividade e por levar em consideração elementos valorativos e teleológicos, e não apenas quantitativos e autolimitantes. Wikipédia
É a ciência noética que fundamenta a possibilidade de se pesar a alma humana, como já falado no post anterior (O PESO DA ALMA) também explica alguns assuntos curiosos, como a previsão do futuro através da medição do pensamento das pessoas. Em poucas palavras, significa que qualquer um consegue definir o que vai acontecer em um futuro próximo, se souber o que a maioria das pessoas está pensando, uma vez que esse pensamento tem massa (e poder), fica fácil entender o que pode vir a acontecer. É sob essa perspectiva que o livro do Dan Brown, O Símbolo Perdido traz em sua trama um dispositivo tecnológico que pela internet consegue medir "o estado emocional de uma nação" ou "o humor de um país" e assim "construir um barômetro da consciência cósmica". Com uma medição dessa, fica fácil se prever um atentado terrorista, por exemplo. Mas se você pensa que esse dispositivo é pura ficção, não perca o próximo post sobre um superdispositivo (REAL) norte americano chamado Webbot.
Os pressupostos essenciais da noética são os conceitos, encontrados em várias tradições filosóficas e religiosas, de que o homem é o criador de sua própria vida, que a consciência impregna toda a realidade, que o homem tem outros meios de contactar a realidade além de seus cinco sentidos tradicionais. Wikipédia
Se você achou a ciência noética interessante, mas ainda muito longe da nossa realidade, é porque ainda não entendeu a dimensão dessa nova "corrente filosófica" (se algum "noético" ler esse meu texto, vai querer me matar ao ler que eu chamei uma CIÊNCIA de corrente filosófica, mas é só para que nós leigos entendamos mais fácil). Essa ciência tenta explicar absolutamente tudo ao nosso redor. Ela quer de fato nos convencer que temos um potencial enorme dentro de nós, e que temos que voltar a nós mesmos, nos conhecendo melhor, para que possamos evoluir e então chegar a este nível de sermos "deuses".
Falando nisso me faz lembrar do filme AVATAR. Seres que tinham uma ligação (literal) entre eles mesmos e a natureza, e apenas conservando e melhorando essa ligação é que eles conseguem se comunicar por telepatia, conseguem interagir com as plantas e animais e até fazer curas quando estão em grupo. Se isto não é noética explícita? Só não vê quem não quer. Pois no final das contas, quem precisa de Deus nessa "nova era"?
"(...) Até mesmo o Instituto de Ciências Noéticas da Califórnia descrevia a disciplina em uma linguagem misteriosa e difícil de entender, definindo-a como o estudo do 'acesso direto e imediato por parte da humanidade ao conhecimento além daquele disponível aos nossos sentidos normais e ao poder da razão'. (...) A palavra noético (...) vinha do grego antigo – nous – que podia ser traduzido aproximadamente como 'conhecimento interno' ou 'consciência intuitiva'." O SÍMBOLO PERDIDO – DAN BROWN.
Apesar de todo o novo livro do Dan Brown estar fundamentado nesses conceitos da nova era e principalmente embasado na Ciência Noética, não me choca nem um pouco que mais um livro dele tenha teor polêmico. Mas o que vemos nos filmes, no teatro e na internet TAMBÉM são esses conceitos camuflados, ou até explícitos como em Avatar. E para quem ainda não está convencido da veracidade do assunto, pesquise a respeito do assunto no IONS (Institute Of Noetic Science) ou no site brasileiro WHH -Willis Harman House. Aprofundem o estudo sobre o assunto e criem sua opinião a respeito dessa ciência revolucionária e que está na moda. E vai que se empolga, cai de cabeça no assunto e vira o novo Super-Buda?! = )

Vale frisar que este texto é apenas para efeitos de curiosidade e que de nada tem haver com minhas concepções pessoais.
Aldrêycka Albuquerque


Saiba mais...

10 comentários:

Frazão disse...

Parabéns Drêyca! Achei seu blog por acaso, e como depois de Dan Brown virei um pesquisador (por assim dizer) sobre esses assuntos, você pode ter certeza de que você arrumou mais um pra estar sempre por aqui expondo minhas opiniões e acompanhando todas essas estranhezas curiosas. Sua maneira "imparcial" de escrever e a maneira sutil como você expõe as teorias é perfeita. Não é qualquer um que escreve como você (brilhantemente)e não é qualquer um que entende essa relação de "só estou mostrando uma teoria" (faltou palavras). Aposto que você esbarra com muitos "Quem te disse que isso é verdade?" por aqui.


Em relação a ciência noética, não adianta, depois de "O símbolo perdido" essa ciência (por assim dizer) virou pop. E convenhamos, esse assunto de canalizaão de energia, de pensamento coletivo e tudo mais já é bem antigo (Aristóteles talvez?). Só agora nos tempos modernos que resolveram dar uma roupagem nova pra ele, começando com "O segredo".
Bom, não tem mais jeito, agora está ai. Finalmente a ciência (fisica quantica, etc..) chega no ápice de popularidade, desvendando todos esses mistériose e devendando a religião, porque não? De vagar estamos chegando na era do
'mostrar' para crer e é aquela história: Contra fatos não há argumentos!

um abraço e parabéns de novo!

Anônimo disse...

Estava empolgado lendo sua matéria até ler um SPILER do livro do Dan Brown que estou lendo agora.
Obrigado por não avisar do spoiler
}:(

Drêycka disse...

Anônimo,
Não vi nenhum spoiler no texto. Don't panic! Relaxe e leia seu livro tranquilamente. :)

Anônimo disse...

Cada um de nós é integrado a todo o Universo, nós não só existimos dentro de sua natureza como fazemos parte dela. A herança que todos nós sem excessão recebemos do Criador Primordial é a Força do Pensamento, uma energia cuja qual apenas iniciamos a desvendar pouco a pouco. A Força do Pensamento é um atributo da Consciência: produz sentimentos, emoções que impulsional a ação e realização. Com a Força dos Pensamentos Criamos as emoções que sentimos, as condições das realidades que experimentamos. Quando o pensamento é negativo nos sentimos maus criamos uma realidade ruim para nós e para aos que circundam nossa existência. Quando o pensamento é positivo nos sentimos Bem e criamos realizações felizes em nossas vidas e nas das pessoas que convivem conosco. E isto é apenas o começo do começo, esta Força que herdamos é a chave para lermos as verdades codificadas na Natureza completa da Criação, do Universo. Temos poderes Criativos que ainda nem sonhamos utilizar, uma responsabilidade enorme aos que logo conseguirem despertá-los.
Com a evolução que se aproxima haverá transformação em nossa espécie, a integração com o Universo, busquemos então ao Criador por Seu Pensamento para utilizarmos com mérito nossas capacidades verdadeiras, pois só sintonizados no Pensamento Dele utilizaremos da maneira certa nossa herança divina evitando os caminhos do caos para produzir sempre Harmonia.

romi cristiano paludo Paludo disse...

muito bom, mas acho que enquanto nao nos conhecermos, ainda precisaremos de Deus como um guia moral. acredito que com o conhecimento e a fé poderemos guiar naçoes para o tão sonhado caminho daluz, onde a ciencia e a fé se unem e o ser humano se torna completo. mas a caminhada é longa e isso é o fabuloso, o copo se enche mas se esvazia, quanto mais sabemos, mais nos surpreendemos. a vida é bela por isso. sou contra radicalismo e fanatismo de ambos os lados.Acredito profundamente em consciencia maior, e isso pra mim é inabalavel, pois sempre acreditei que as coisa iriam dar certo e sempre dão, talves isso pra mim é fé , opiniao de fora nao me atingem. pensamento sempre positivo é a chave daquestão, nao so para si,mas para a humanidade juntos.

romi cristiano paludo Paludo disse...

achoe que perdemos tempo demais discutindo quem tem razão e quem nao tem. sou contra radicalismo e fanatismo de ambos os lados. agora a ciencia neotica veio provar o que buda, cristo e muitos outros tentaram nos falar durante os tempos, buda dizia - mente gera mente, cristo dizia, bateis a porta e sera aberta, pedieis e lhe sera dado, nao crie desafeto pelo proximo, quem vive pela espada, pela espada morrera, agora a ciencia de de provar que nos somos guias de nossas proprias vidas. acredito que com esse conhecimento, poderemos ter o conhecimento devido de nos mesmo e procurarmos uma moralidade dentro daquilo que nos foi passado , pois o homem é um ser em devida construção, assim futuramente teremos uma nação mais amoraza, sem egoismo, rancor , odio e toda essa disputa idiota que entrava o progresso nosso perante a natureza.
bem é nisso que acredito .

Filipe Augusto de Faria Araujo disse...

Estou lendo o Símbolo Perdido e já li os outros dois livros da saga de Robert Lagdon, achei muito intrigante a parte de ciência noética, Dan Brown acha uma forma bem fácil e simples para entendermos a ciência noética através dos grãos de areia. Eu não acho tão loucura essa ciência não, a mente humana, o pensamento humano tem muitos segredos, o celebro humano é uma incógnita para os cientistas. E se realmente um pensamento nosso por mais insignificante que seja, pode de alguma forma alterar o mundo em nossa volta. Tive pensando nisso e cheguei a vários métodos que podemos interpretar como ciência noética, a acupuntura é um método que através de agulhas espetadas em lugares estratégicos de nosso corpo, faça com que paramos de sentir dor, e se essas dores simplesmente desaparecesse por que "pensamos" que ao colocar essas agulhas em nosso corpo elas o fará se sentir melhor. Outro exemplo, lembrei de um filme que assisti que me emocionou muito, "Patch Adams o amor eh contagioso" nesse filme Robin Williams é homem comunicativo que decidi fazer faculdade de medicina, e ao longo de seus estudos ele vê que pode curar a dor das pessoas através da alegria e compaixão, "comprimidos aliviam a dor, mas só o amor alivia o sofrimento", essa não seria um tipo de ciência noética, ele estaria usando o pensamento "bom", ele conversava com seus pacientes, através do diálogo e do sorriso Patch ajudava muitos pacientes a sobreviver com a doença! Mais um pensamento meu que pode ter relações diretas com a ciência noética e essa pessoas podem achar radical demais, é quanto a religião, muitas pessoas acreditam em Jesus Cristo, em Deus, eu venho de uma família muito católica e acredito numa força maior, que espelho de suas ações aqui na Terra, se faz o bem, terá como reflexo o bem, mas se faz o mal terá como reflexo o mal! Então voltando a noética, desde quando nos entendemos por gente, acreditamos em um "Deus" a partir da "FÉ" e se a fé, for um tipo de ciência noética, vou explicar, acreditamos tanto em "Deus" é uma força maior um poder supremo que está acima de nós, que atribuímos a ele, grande parte dos acontecimentos em nossas vidas, a partir do pensamento temos a fé, podemos ter fé em curar uma doença, ou que alguma coisa que está para acontecer, você coloca tanto sua fé (pensamento positivo / negativo) que realmente acha que possa acontecer. Isso implica em mais um mito que pode estar ligado direto a ciência noética, o "Efeito Borboleta" (O efeito borboleta nos conta que uma simples batida de asa de uma borboleta no Japão, possa ter como consequência um furacão nos Estados Unidos). Bom os livros do Dan Brown são ótimos para adquirir conhecimento e viajar através de uma história contagiante, e sobre a ciência noética, realidade ou não, estamos começando a caminhar para entendermos a origem da vida.

Gisely Cappellozza disse...

Concordo e achei os comentários muito significativos,gosto de saber que está aumentando o numero de pessoas conectada nos mesmos pensamentos!

Anônimo disse...

INTERESSANTE! Gostei do tema e assim como a galera aí, conheci por conta do Dan Brown. O mais legal é que, na minha concepção, não preciso excluir Deus da minha vida para entender essas coisas. Por exemplo, o que se faz comumente nas igrejas? Juntam-se em oração pelos doentes ou pelos desempregados com o objetivo de vencer esses problemas. Tá aí uma das razões pela qual Jesus mandou orar uns pelos outros e disse ainda que, se crêssemos, faríamos mais do que Ele. Mas creio que não somos frutos do acaso, que não estamos sós no universo, que existe um Ser que quer ser achado por nós, que com o passar dos séculos, de algum modo permite e quer que entendamos a sua obra criadora. Quem sabe estamos aprendendo tudo isso para um propósito bem maior? Quem sabe Ele não se manifesta a nós como gostaríamos para, pelo menos, nos dar um gostinho de cientistas, porque se Ele manisfestasse um pouquinho de sua glória, de repente, perderíamos o encanto por Sua obra criadora e nos apaixonaríamos pelo seu esplendor. Vamos aproveitar e brincar de cientistas, pois toda a nossa ciência é como brincadeira de criança na beira da praia perto de toda a complexidade do universo, quiçá, perto do Criador. Mas toda a ciência é bem legal, assim como a noética, como brincadeira de criança (risos).

Gabriel Roth Fabris disse...

Maravilhoso Dreica, realmente voce tem razão, enquanto nos formos nossos Deuses não precisaremos de Deus(le-se Deus cristão)...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tuítes Apocalípticos do Porque2012