segunda-feira, 9 de agosto de 2010

O Astronauta de Palenque, um legado Maia

AINDA SOBRE OS MAIAS NESTE BLOG: O Estranho e Curioso Calendário Maia; Os Maias.



Localizado na entrada da península de Yucatán, perto da fronteira com a Nicarágua Guatemala, no estado mexicano de Chiapas, encontra-se o sítio arqueológico de Palenque, um dos grandes legados da civilização Maia. As ruínas deste sítio ocupam uma extensão de mais de 15 km e foram descobertas em 1773 por capitães espanhóis que vinham em busca de madeiras finas. Ao começarem a explorar a região notaram que as madeiras estavam em cima de edificações antigas e assim, aos poucos, foram descobrindo toda a preciosidade que estava logo abaixo dali, o Sítio Arqueológico de Palenque. Porém, só em 1950 o arqueólogo Alberto Ruz (do Instituto Nacional de Antropologia e de História do México) encontrou neste local algumas escadarias e túneis secretos que levaram-no a descobrir além de muitos artefatos, uma esquife dentro de uma pirâmide-túmulo decorada por uma figura no mínimo curiosa: Um astronauta.

Apesar deste povo ter erguido pirâmides, levantado fantásticas cidades em pedra e construído uma cultura inigualável na América daquele período, o que realmente nos intriga é o motivo que provavelmente entre os anos 750 e 900 d.C. a civilização maia simplesmente desapareceu. Alguns falam de uma violenta e prolongada seca que forçou este povo a abandonar suas cidades de pedra em busca de esperança em outras paragens. Porém a civilização moderna, desde 1996 tenta entender que espécie de crise interna poderia ter sido tão forte a ponto de mudanças climáticas repentinas provocarem o colapso total de uma civilização tão bem estruturada. A realidade é que não se sabe como, mas a civilização Maia simplesmente desapareceu.
 
 
As pirâmides Maias só representam templos ou observatórios astronômicos, mas a encontrada em Palenque foi a primeira pirâmide-túmulo descoberta. A pedra que cobre este sarcófago (do Rei Paccal) tem um comprimento de 3,5m por 2,2m de largura, pesa aproximadamente 5 toneladas, e o esqueleto encontrado nesta cripta foi denominado o “Homem da máscara de jade”. Este esqueleto trazia uma morfologia bastante diferente do povo Maia - era muito mais alto, por isso inicialmente pensou-se que estes eram os restos mortais do deus branco Kukulkan, descrito pela civilização maia como um homem totalmente diferente deles e que veio dos mares. Segundo os Maias ele era um homem alto, branco, de longos cabelos, barba branca, olhos azuis e crânio alongado. E este “homem” foi quem ensinou a este povo sobre tempo e espaço, além da arte de construir pirâmides. Tanto é que eles construíram para ele (em homenagem ou adoração) a “Pirâmide de Kukulkan”, um zigurate de pedra de quatro lados que na verdade é um calendário, que somando-se os 91 degraus de cada lado mais a sua plataforma, o total é 365, como os dias do ano. O incrível é que os Maias ergueram a pirâmide de modo que no equinócio, o sol atinja a face norte criando a sombra de um serpente gigante. Curioso, não? 

O Astronauta de Palenque ficou muito famoso após o escritor suiço Erick Von Däniken, autor do best-seller “Eram os deuses astronautas?" (1966), visitar o local da tumba, fotografar e mostrar ao público sua descoberta: um astronauta pilotando sua nave, estampando o sarcófago do Rei Paccal. Após a visão futurista de Däniken para esta gravura, foram-se expandindo as interpretações para ela.

O motivo central dessa tampa é um Maia vestido à moda de seu tempo, porém ele se encontra encerrado e assentado no que poderíamos chamar atualmente de uma cápsula espacial de propulsão a reação, sendo que suas mãos estão no comando, sua cabeça trazia capacete, tendo ela ligada a um suporte, seu nariz ligado a um tipo de inalador; na parte dianteira são visto três receptores de energia, com bobinas perfeitamente reproduzidas; a do nariz toca um papagaio (entre os maias esse pássaro simboliza o sol); outros captadores de energia podem ser vistos na parte dianteira, por três séries de três, e formados em tubos; na parte posterior, o motor se divide em quatro partes; é seguido por um grupo de torneiras prolongadas por chamas de escapamento encurvadas em volutas; sobre os lados, tomadas de ar; uma penagem posterior extremamente bem perfilada. Parece que os meios de propulsão eram de duas naturezas diferentes: uma de origem solar (simbolizada pelo papagaio (sol) tocando a antena receptora dianteira), e a outra de origem talvez terrestre (simbolizada pelos dois sinais "motores" situados às costas do piloto). FONTE: Burn - Michelle P. Castro
  

Esse conhecimento Maia extremamente avançado creditado ao deus Kukulkan, um ser totalmente diferente deste povo, nos deixa no mínimo curiosos a respeito da origem desse ser, não é mesmo? Na verdade chegamos a nos questionar se este povo teria realmente feito uma emigração em massa ou eles teriam sido seqüestrados por extraterrestres e levados para outro planeta. Quem sabe o tal deus branco Kukulkan no final das contas voltou como prometeu que faria e levou com ele toda a civilização Maia? Existem até aqueles que acreditam que esta gravura seja de um ser humano “do futuro” que tenha voltado no tempo e interferido na história. Quem vai saber ao certo? Talvez mais uma vez os Anunnakis fizeram contato e interferiram novamente na história da humanidade, não só com os Sumérios, mas também com os Maias. Talvez no futuro tenhamos tecnologia para trafegar entre tempo e espaço e por algum motivo vamos interferir na vida destes povos e depois sumir com eles? Isso ainda não sabemos, talvez nunca saberemos, mas a evidência de desenhos e esculturas de astronautas não só é uma constante na cultura Suméria, como também nos grandes arquitetos Maias. E falando em arquitetura, vocês já compararam o estilo de arquitetura destes dois povos? Qualquer semelhança talvez NÃO SEJA mera coincidência.


 
Aldrêycka Albuquerque



FONTES:
http://www.projetosonda.com.br/ufos_hist/maias/maias.htm

http://umbilicum.blogspot.com/2009_06_01_archive.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Palenque

http://www.burn.org.br/modules.php?file=article&mode=thread&name=News&order=0&sid=221&thold=0

http://pt.wikipedia.org/wiki/Erich_von_D%C3%A4niken

http://www.cubbrasil.net/index.php?option=com_content&task=view&id=2138&Itemid=88



EXPANDA OS HORIZONTES!  
Gostou do assunto? Quer saber mais sobre ele? Compre o livro A CIVILIZAÇÃO MAIA de Paul Gendrop pelo Submarino e garanta seu desconto. Gostou? Clique na imagem ou AQUI e confira o preço promocional. Só o Submarino te garante os melhores preços com os menores prazos para entrega. Tudo totalmente seguro! Confira o site!

6 comentários:

ACABADO disse...

Olha eu gostei do texto.
Antes eu pensava assim também achava que nós humanos não estavamos sozinhos no mundo.
Eu li um livro muito bom de um pesquisador nome:
ERAM DEUSES ASTRONAUTA
Autor: Erike....(Lembro mais não)
Foi ai que eu entrei numa sociedade secreta essas que dominam o mundo...são tantas ...as que tem a pirâmede como luz.
Ai, jovem vi que a humanidade é vítima de algo que os menos intectuais professam, temem e já sabem há muito tempo
Satanás.
Ele tem muita inteligência, fazem o que quiser com quem quiser.
Hoje mais que nunca percebo a manipulação dele desde tempos primórdios...tudo um palco em que os palhaços somos nós.
Mas que na verdade é para o nosso tempo....para você que escreve estes belos textos e para mim... para todos.
Realmente nós estamos em um mundo estranho.
Eu posso garantir para você não tem vida inteligente em outro planeta.
Eles podem se materizar-se em que quiserem....manipulam as mentes dos mais sábios do jeito que convém.
Ninguém jamais viu a DEUS...assim também ninguém jamais verá satanás (ele se acha DEUS.
Hoje eu estou aprendendo a rezar.
Estou tentando me aproximar de um DEUS que ouvi falar.
É difícil jovem pois estas entidades infernais deixam uma cicatriz muito grande na no espírito da gente.
Existem sim um mundo espiritual que não vemos.
Mas seres no cosmo com inteligência só NÓS...acredite!

Maria Cecília disse...

Palenque não fica nem um pouco perto da Nicaraguá. Aliás, o México nem faz fronteira com a Nicaraguá, entre estes dois países ainda tem a Guatemala, Honduras e El Salvador :)

Drêycka disse...

Maria Cecília, muito obrigada. Foi erro meu. Deveria ter escrito GUATEMALA, e escrevi NICARÁGUA. Valeu mesmo!! Já alterei lá.

; )
Drêycka

Piradoido disse...

vc prestaram a atenção nessa gravura do astronalta ela se parece com aquela estatua sumeria de um astronauta sentando em um foguete trajando uma roupra toda ondulada muito parecida mesmo, essas duas sivilizaçoes separadas por muitos anos e distacia grande mais sao parecidas acho que os mesmo seres que visitavam os sumerios tb visitou os maias

Tassio Bruno eEUcomISSO disse...

oi Aldrêycka, gosto muito do seu blog. gostei muito de varios artigos q li aq, inclusive o do sumerios, do planeta X, muito bom.

mas vou deixar um comentario cético, para q todo mundo possa pensar diferente.

a humanidade tende a pensar igual no decorrer do progresso, mesmo que a comunidade X nao se encontre com a comunidade Y. por exemplo, ser sedentaria somente perto de rios, contruções de comunidades cada vez maiores, construção de familias feita por mulheres -- tanto q na maioria incotavel das familias, sao elas q tomam conta do filhos homens -- e tantas, e tantas outras coisas, progresso tecnico-intelectual sucessivo, ao se descobrir um invento, esse ajuda para descobrir outros.

talvez pq todos nos, temos uma constituição igual, ou seja, somos seres capazes de nos diferenciar um do outro, dizendo "eu". isso nos torna sucetiveis a igualdades, a depender claro, dos locais q moramos.

um exemplo claro disso, é da "admiração" q as primeiras civilizações possuem, sendo isso, logo depois disperso pelo uso da ciencia-racinalista -- admiração da chuva, do fogo, da luz, do escuro...

por ai já fica provado uma dezena de coisas, como por exemplo, o fascinio do homem pelo céu -- nem preciso falar de socrates ou de arisoteles.

Essa é uma visao complicada de defender, até pq eu tenho uma visao propria do assunto. -- uma visao teosofica-progressista, se dissesse em palavras.

mas é certo q há fatos identicos, e muitos desses fatos se devem a fatores mais genericos, desde sermos animais racionais, até sermos animais sociais.

Falar de fatos extraordinarios, como os sumerios terem uma matematica melhor a de muitos sec humanos é complicado, teríamos de avaliar pq nós-ocidentais, demoramos tanto para redoscobrimos as coisas -- terra-redonda, luz, optica, por fatores a perder de vista, como conflitos-religiosos, para falar menos... -- e nos faz pensar q uma sociedade humana, fechada e unida num único objetivo é capaz de feitos extraordinarios de fato.

para fechar termino com um arg, humeano classico -- ou uma tentativa humilde de expô-la -- Como negarmos essa aparente regra q parece ter a natureza? o dia, a noite, a chuva, tudo encadeado, a construção do universo, os numeros sempre encadeando, com 2+2 sempre igual a 4. a mente com pensamentos sempre q s sucedem, como ver a foto de um amigo, faz lembrar dele concomitantemente...toda essa ordem universal é tao forte q nos é inegável, desde q digamos não somos tão capazes de responder o porque de todas as coisas q nos circundam, bastando q as aceitemos.
[claro q essa é uma visao muiiiito humilde deste arg do grande filosofo ingles, talvez outras interpretações possam vir à tona, mas esta é a q cabe para mim agora.]

Abraços, e otimo trab, esse é um dos blogs "misteriosos" mais bem trabalhados e sinceros q achei na net. vc está de parabens!

Murcella disse...

Sr. Acabado...que arrogância...achar que somos o supra-sumo da Criação...
Ainda acreditas no Conto da Carochinha Institucional?...
É a dualidade que nos dá a percepção das coisas...como saber que algo é belo sem termos algo feio que sirva para comparação?...como ter um criador sem a criação?
O grande duelo entre Deus e Satanás talvez não seja mais que o duelo entre capitães que tem ponto de vistas diferentes, como acontece em qualquer expedição, no nosso caso, a colonização e exploração deste planetinha chamado Terra...
Quem morrer...verá...desde que nosso HD seja salvo...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Tuítes Apocalípticos do Porque2012